Cada vez mais é preciso existir espaços de formação contínua de professores

A formação de professores tem atraído o empenho de pesquisadores nas últimas décadas. Os estudos nessa área são férteis em questionamentos que demonstram cada vez mais a complexidade da docência e sua abrangência no ambiente educacional, tendo em vista a qualidade da escola, do ensino, do currículo e do ofício de ensinar. Assim sendo, surge a busca de novos referenciais teóricos e metodológicos que exigem da escola mudanças na formação daqueles que ensinam para inovar suas práticas, tornando-os capazes de conviver com os avanços da tecnologia e da produção do conhecimento.

Esse contexto inspira a formação contínua de professores pesquisadores e reflexivos, que consideram o estudo da sua própria prática uma ferramenta auxiliadora na inovação dos saberes docentes. De forma a superar a fragmentação do conhecimento; a dicotomia entre teoria e prática; as políticas públicas e as práticas educacionais descontextualizadas das necessidades do ensino frente à realidade escolar; o distanciamento entre a escola e a universidade visualizado na fragilidade e interesse da escola pelas contribuições da pesquisa educacional a serviço da melhoria da sala de aula.

O aprender contínuo é essencial para a conquista da excelência acadêmica, por entender que a formação pedagógica dos docentes não deve ser deixada ao acaso diante da amplitude da docência, da sua relevância e dos seus desafios. O professor que enxerga as oportunidades e privilégios do ensinar não permitirá que coisa alguma atrapalhe o caminho para o aperfeiçoamento próprio, a fim de atingir a mais elevada norma de excelência.

Desse modo, entende-se que o professor deve receber apoio no seu processo de aprender a ensinar; de buscar conhecimentos para atender a sua formação profissional; de encontrar respostas que estão além do ambiente da sala de aula; de acreditar em possibilidades de mudanças; de desenvolver diferentes maneiras de intervenção na realidade escolar; de criar novas estratégias que favoreçam o processo de ensino e aprendizagem.

Nesse sentido, tanto o professor quanto a escola têm um papel importante na formação contínua, uma vez que o ambiente profissional pode contribuir para o entendimento de que o professor eficiente não se contenta apenas com resultados positivos alcançados no seu cotidiano da sala de aula, mas demonstra constante presteza em adquirir conhecimento. Cabe à escola investir em um programa de formação contínua, para favorecer a reflexão permanente sobre a mais elevada concepção de educação, bem como discutir e avaliar as práticas pedagógicas.

Acrescenta-se também o compromisso da universidade com a formação contínua, apesar de já atuar na profissionalização, oferecendo cursos de formação de professores. Nesse sentido, as licenciaturas necessitam avançar além dos conceitos, não limitar a ensinar apenas os conhecimentos científicos sem articulação com os problemas da realidade escolar. Nessa mesma direção, os cursos de pós-graduação têm discutindo sobre a necessidade de maior proximidade com os problemas da realidade, que envolvem o cotidiano profissional na educação.

Stricto sensu como caminho

Inspirado nesse desafio, o Centro Universitário Adventista de São Paulo (Unasp) tem contribuído para a formação contínua dos professores. Além dos cursos de licenciaturas e pós-graduação lato sensu, já com uma trajetória consolidada, oferece o curso de Mestrado Profissional na área de Educação. Além da importância para o sistema educacional adventista, destaca-se a contribuição acadêmica para os profissionais da educação no entorno do Unasp e em outras regiões do Brasil e do mundo. O curso oferece um alto nível de qualificação profissional, que confere um diploma com validade nacional, como todo programa de pós-graduação stricto sensu.

O diploma do mestrado profissional tem o mesmo valor do mestrado acadêmico. Entretanto o mestrado profissional é voltado para a pesquisa de interesse da formação do profissional, com estudos e técnicas que permitem maior qualificação no exercício da profissão favorecida pela ênfase na aplicação prática da teoria, uma vez que, permite mais proximidade com a realidade da escola. Já o mestrado acadêmico é direcionado para formar um pesquisador, embora tanto o mestrado profissional quanto o acadêmico são avaliados pelos critérios rigorosos da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) e exige pesquisa. Além de tornar o profissional da educação mais competitivo.

Nessa direção, o curso de Mestrado Profissional em Educação do Unasp foi autorizado pela Capes em outubro de 2015 e teve sua primeira turma iniciada em agosto deste ano, no campus de Engenheiro Coelho.

O curso tem como foco a formação propositiva e inovadora em gestão e docência, com habilidade para articular o saber acadêmico, a pesquisa e a prática educativa, visando ao desenvolvimento integral do ser humano. Soma-se a isso o principal objetivo de formar profissionais, gestores e docentes pesquisadores, com domínio dos processos de investigação científica.

Linhas de pesquisa

O programa propõe duas linhas de pesquisa. Uma será na formação de professores, currículo e práticas inovadoras, com objetivo de investigar a formação inicial e continuada de professores e os saberes mobilizados nos processos formativos e curriculares. Considera as práticas docentes numa perspectiva contemporânea, em que as intervenções metodológicas e tecnológicas inovadoras se dão em diferentes tempos, espaços, modalidades e níveis de ensino, capazes de criar identidades e características distintas num cenário educacional e cultural diversificado.

A outra linha de pesquisa do curso tem como foco a formação de gestores, processos educativos e avaliação, com objetivo de investigar e analisar criticamente a gestão educacional, a partir de seus fundamentos filosóficos, epistemológicos, políticos e históricos. Contempla estudos e intervenções sobre a gestão e avaliação de sistemas e processos educacionais.

Nesse sentido, o propósito central do curso de Mestrado Profissional em Educação do Unasp, é a produção de conhecimento, a elaboração de novos métodos, experiências curriculares, práticas educativas e materiais de ensino orientados pela pesquisa aplicada, pela solução de problemas e a proposição de novas ferramentas para a melhoria da qualidade dos processos educativos nos locais de trabalho de cada discente do programa.

Desse modo, tornar-se um aluno do curso do Mestrado Profissional em Educação é oferecer a si mesmo a oportunidade de desfrutar da vida do verdadeiro professor, que nas palavras inspiradas de Ellen G. White é uma vida de contínuo crescimento e constantemente conquista a realização dos mais elevados e melhores métodos.

Para mais detalhes do programa de mestrado profissional em Educação do Unasp-EC, acesse o site do curso: unasp-ec.edu.br/pos/mestradoeducacao.

Gildene Lopes é doutora em Psicologia e coordenadora do mestrado profissional em Educação do Unasp.